Pesquisar este blog

terça-feira, 20 de outubro de 2009

INTERNET: para o bem ou para o mal?

A Internet nada mais é do que um sistema de informação global, que possibilita a troca de in-formações dos mais variados assuntos, o envio de mensagens, a conversação com milhões de pessoas ou apenas o acesso às notícias de qualquer parte do planeta. Podemos dizer que a Internet é, de uma vez e ao mesmo tempo, um mecanismo de disseminação da informação e divulgação mundial e um meio para colaboração e interação entre indivíduos e seus computadores, independentemente de suas localizações geográficas.
Mais do que qualquer uma das gerações passadas, a juventude de hoje está conectada - durante todo o tempo- com um mundo de comunicação e informação nas pontas dos dedos. A internet configurou a forma de trabalhar, relaxar e até de namorar da juventude atual. A rede criou, para eles, uma noção diferente de comunidade e novas formas de expressão. Segundo a professora Deise Trindade, 35 anos, a Internet têm os seus prós e contras. “Não podemos negar que a Internet foi um grande avanço tecnológico para a humanidade, mas ela precisa ser bem utilizada. Se o jovem não souber utilizá-la de uma forma saudável, ele certamente irá se prejudicar”, comenta.
O uso indevido da rede pode acarretar para os jovens sérios problemas. De acordo com a psicó-loga Ana Clara Lemos, 33 anos, o mau uso da Internet traz sérias conseqüências para a saúde física e mental dos usuários. “O jovem que passa todo o tempo navegando na internet, muitas vezes, torna-se sedentário, não pratica exercícios físicos, e isso pode trazer problemas como o aumento de peso, dores musculares, problemas de visão. Já na parte psicológica, o maior problema é alienação que o jovem sofre. Eles não têm a personalidade formada, e acabam sendo influenciados pelas informações que trocam na rede, e isso é muito perigoso, porque a Internet não possui um controle das informações divulgadas. Ao mesmo tempo em que tem coisas boas, também tem coisas ruins, e cabe aos pais controlarem os conteúdos que os seus filhos acessam e ficarem atentos as possíveis mudanças de comportamento dos filhos”, concluí.
Ainda segundo a psicóloga Ana Clara, se o jovem começa perder interesse pelas coisas que gosta, se passa a ter problemas na escola e com os amigos, e passa a viver uma vida virtual, os pais devem entrar em ação e impor limites de uso da rede ou procurar ajuda de um profissional habilitado.
Não podemos negar que a Internet é uma evolução tecnológica muito satisfatória, que trouxe muitos benefícios para a humanidade, mas precisamos usá-la corretamente e orientar os jovens sobre os perigos que eles podem correr ao acessar a rede de maneira indevida, e acima de tudo, devemos ter a consciência de que nenhum meio de comunicação é mais importante do que a convivência co pais, educadores e amigos reais.

Nenhum comentário: